Read more: http://www.estimulanet.com/2012/06/colocar-cometarios-do-facebook-no.html#ixzz2HlMBclHn

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

POR QUE DENUNCIO AS HERESIAS E OS FALSOS PROFETAS



"E, naqueles dias, apareceu João o Batista pregando no deserto da Judéia,
E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus. Porque este é o anunciado pelo profeta Isaías, que disse:Voz do que clama no deserto:Preparai o caminho do Senhor,Endireitai as suas veredas." Mateus 3:1-3
João Batista, muito antes de mim, de você e de todos esses cristãos que hoje compraram "a briga" do evangelho, usou seu "ministério" para proclamar a salvação e o arrependimento.

Sem arrependimento não se chega a Deus. Sem reconhecimento do pecado, não há nada que se possa fazer para que eu e você possamos alcançar a salvação eterna.

"E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus, que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura?
Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento;
E não presumais, de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que, mesmo destas pedras, Deus pode suscitar filhos a Abraão.
E também agora está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo." Mateus 3:7-10


O princípio básico para "SE ARREPENDER DOS PECADOS" é se submeter a Deus. É, portanto "TEMER A DEUS". Temer a Deus significa o que está escrito lá em Hebreus 12:

"Por isso, tendo recebido um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente, com reverência e piedade; Porque o nosso Deus é um fogo consumidor." - Hebreus 12:28-29

Todos aqueles que foram RECEBIDOS no reino de Deus, compreendem que devem servir a Deus com REVERÊNCIA (notem não com irreverência) e PIEDADE (que também significa Amor Respeitoso).

E ISSO, porque aqueles que são de Deus, compreendem que "com Deus não se brinca", Deus não se deixa escarnecer....Ele não é um brinquedinho invisível, ou um amigo de infância, que não tem limites, que se pode "zoar", "trollar", ou ser incluído em nosso linguajar profano e interesses mundanos.

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará."- Gálatas 6:7

Dito isto, respondo então a questão do enunciado no texto: Por que denuncio as heresias e os falsos profetas?

Exatamente por que esses "líderes espirituais" modernos, que estão se lambuzando no dinheiro, nas falácias e nas chocarrices, PERDERAM COMPLETAMENTE O TEMOR A DEUS. Esses gurus espirituais de multidões, estão bandoleirando pra lá e pra cá, faturando com suas famas, seus anéis nos dedos e relógios de ouro, alegando que são "FILHOS DE ABRAÃO",mas esquecendo-se que até das pedras do caminho Deus pode suscitar filhos a Abraão.

Se você já se desvencilhou do sistema podre e falido da religião e está buscando, assim como eu, desesperadamente andar nos caminhos do Senhor, está sendo fácil repetir o trejeito do camaleão. Agora se você leu até aqui e está pra lá e pra cá maneando a cabeça, pensando que isso tudo está errado, reflita um pouco mais:

Vender bugigangas nas igrejas e apelar pela bênção NÃO É OBRA DE DEUS
Se apresentar em shows gospeis NÃO É OBRA DE DEUS
Boates, raves gospel, festa junina gospel, pancadão gospel, bingo gospel, desfile gospel e sei lá o que mais nessa mesma linha NÃO É OBRA DE DEUS
Revelações egocêntricas e exposição de horrores ritos misticos e similares NÃO É OBRA DE DEUS
Se submeter a "autoridades que se auto entitulam" seres superiores NÃO É OBRA DE DEUS

ESSA GENTE QUE PRATICA TAL COISA PERDEU COMPLETAMENTE O TEMOR A DEUS.

Muitos, deixaram de pensar que Deus é fogo consumidor, se perdendo pelo caminho e dando lugar a suas vaidades e seus próprios interesses e extravasando seus intentos carnais na busca por poder, fama e riquezas.

Esses tais NÃO MANIFESTAM FRUTOS DE ARREPENDIMENTO. Estão embebedados em sua falta de TEMOR, perderam os limites, macularam tudo aquilo que é bom e perverteram-se dos seus bons caminhos.

"Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.
E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.

Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." Filipenses 4:6-8

E MAIS GRAVE disso tudo, é que essas lideranças e personalidades ditas cristãs, influenciam todo um povo. Toda uma gente que está esquecendo que o CAMINHO QUE LEVA A DEUS é ESTREITO, que no mundo teríamos aflições, gente que quer e está buscando o caminho da FACILIDADE  MUNDANA, por que está sendo influenciada por líderes corruptos.

Gente que ao invés de se inconformar com o mundo, está inconformada por que quer ter tudo o que o mundo oferece. PERDERAM O TEMOR A DEUS.

Essa é a herança pecaminosa dessa geração: crentes que estão perdendo o TEMOR A DEUS.

"Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino,
Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.
Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;
E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.
Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério."
2 Timóteo 4:1-5


A mensagem que deve ser pregada em TODOS OS QUATRO CANTOS DA TERRA é a de ARREPENDIMENTO. Temos desesperadamente que buscar uma vida transformada, de ajuda ao próximo, de misericórdia, afastando-se de modismos, de influências mundanas e pagãs.

O que é santo é santo. O que é impuro é impuro. Não podemos nos perder entre essas duas indefinições, por que corremos o risco de perdermos o TEMOR A DEUS.

"E ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito:Este povo honra-me com os lábios,Mas o seu coração está longe de mim;
Em vão, porém, me honram,Ensinando doutrinas que são mandamentos de homens." - Marcos 7:6-7

domingo, 27 de outubro de 2013

Tirando Deus do trono



"Quando envelheceu, Samuel nomeou seus filhos como líderes de Israel.


Seu filho mais velho chamava-se Joel, o segundo, Abias. Eles eram líderes em Berseba.

Mas os filhos dele não andaram em seus caminhos. Eles se tornaram gananciosos, aceitaram suborno e perverteram a justiça.

Por isso, todas as autoridades de Israel reuniram-se e foram falar com Samuel, em Ramá.
E disseram-lhe: "Tu já estás idoso, e teus filhos não andam em teus caminhos; escolhe agora um rei para que nos lidere, à semelhança das outras nações".
Quando, porém, disseram: "Dá-nos um rei para que nos lidere", isto desagradou a Samuel; então ele orou ao Senhor.
E o Senhor lhe respondeu: "Atenda a tudo o que o povo está lhe pedindo; não foi a você que rejeitaram; foi a mim que rejeitaram como rei."

1 Samuel 8:1-7

O povo de Israel tinha um rei: O próprio Deus. Para conduzir o povo Deus contava com os juízes. O povo de Israel vivia a se comparar a outras nações e as invejavam pelo fato de possuírem  seus "reis" terrenos. Logo que surgiu a oportunidade, visto o mal comportamento dos sucessores de Samuel, o povo tratou de dar uma imprensa em Samuel e "exigir" o primeiro rei da nação.

Como você acabou de ler acima, Deus permitiu. Mas os advertiu logo adiante:

"Assim como fizeram comigo desde o dia em que os tirei do Egito, até hoje, abandonando-me e prestando culto a outros deuses, também estão fazendo com você.
Agora atenda-os; mas advirta-os solenemente e diga-lhes que direitos reivindicará o rei que os governará".
Samuel transmitiu todas as palavras do Senhor ao povo, que estava lhe pedindo um rei,
dizendo: "Isto é o que o rei que reinará sobre vocês reivindicará como seu direito: ele tomará os filhos de vocês para servi-lo em seus carros de guerra e em sua cavalaria, e para correr à frente dos seus carros de guerra."

1 Samuel 8:8-11

********

Os anos e séculos se passaram, as épocas, as gerações, o tempo, a modernidade e cá estamos nós mais uma vez assistindo o povo tirando Deus do trono.

O povo nunca tirou tanto Deus do trono como agora: inventam gurus espirituais, idolatram as personalidades dos "artistas gospel".....juram alianças e fazem pactos com "novos reis" que reivindicam seus direitos: tomam seus filhos para guerras que eles próprios inventam, colocam seus filhos a correr a frente dos carros de guerras!!! O povo agora luta guerras e enfrentam as batalhas de seus líderes achando que estão lutando as guerras de Deus...

Idolatram a personalidade de seus líderes, de seus ícones, de suas referências musicais....tem inveja do mundo, das outras nações...se o mundo tem "Paula Fernandes" nos temos que ter "Paula Valadão"...e por ai vai...

Quando tiramos Deus do trono, colocamos homens. Sofremos consequências gravíssimas, a principal delas: nos esquecermos a quem servimos.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Vacinando o rebanho



Qualquer pecuarista sabe o que tem que fazer para tocar a sua vida, ganhar algum dinheiro, enfim, viver com dignidade. Quem está nessa vida, quer por profissão escolhida, quer por herança dos pais e avós criadores de gado, sabe que seu tesouro é o seu rebanho, logo, todos os esforços durante a árdua carreira estarão voltados para a manutenção sadia de suas cabeças de criação. A regra é a mesma pra quem cria bode, cabrito, ovelha, boi, camelo: tem que manter o gado bem alimentado e livre das pestes e contaminações.

Se você não conhece uma fazenda, nunca pisou num cocô de boi num pasto, nunca atravessou uma porteira daquelas bem rangentes pode até não entender muito bem a real importância dos cuidados apresentados, mas, quem sabe, de alguma forma acabemos nos identificando em algum curral dessa vida.

O cuidado elementar com o rebanho é conhecido a séculos: a alimentação. Alimentar o rebanho é locá-lo em pastos verdejantes, com uma terra boa, rica em nutrientes, bem cuidada, arejada, de preferência cortada por um curso de um rio, riacho, uma lagoa...a pecuária moderna já dispõe de outras formas mais evoluídas de manejo, de suplemento alimentar, de cuidado extra para a maximização e resultados dos animais...assim sendo, os animais crescerão sadios e robustos. Carne boa, lã boa, couro bom...de tudo se aproveita fruto dessa alimentação farta.

O segundo cuidado semelhante ao primeiro é a saúde. Não adianta o rebanho ser bem alimentado mas não estar imune as pestes, as endemias rurais, ao infortúnio ser infectado por doenças mortais adquiridas por infecções pestilentas.

Cuidar do rebanho é também vaciná-lo. É criar os anti-corpos e a imunidade necessária para combater os ataques das pestes perniciosas.
............................

Antigamente, os cuidadores dos animais eram chamados de pastores. Hoje em dia ganharam outros nomes e outras funções: tais como veterinários, boiadeiros, peões, geneticistas...etc, etc.
Dentre tantas ilustrações bíblicas para o povo de Deus (a Biblia em algumas passagens chama o povo de peixes, pregadores de pescadores, agricultores, lavradores) a igreja moderna resolveu adotar a simbologia do "pastor" para o pregador ou o lider, e "ovelhas/rebanho" para o povo.

Esta conotação é bíblica e está registrada em diversas passagens ditas inclusive pelo próprio Jesus. No entanto, sobre esta conotação há um INTRIGANTE e VERDADEIRO detalhe digno de ser frisado:

"Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas.
Mas o mercenário, e o que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa as ovelhas.
Ora, o mercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas.
Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido.
Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai, e dou a minha vida pelas ovelhas.
Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor." - João 10:11-16

Jesus conota que Ele é o verdadeiro Pastor. Ele é quem dá a vida pelas ovelhas. Nesse texto ele nos ALIMENTA e nos VACINA, a todos nós que fazemos parte do seu rebanho. 

O verdadeiro ALIMENTO e a VERDADEIRA vacina vem da PALAVRA DE DEUS, vem do RELACIONAMENTO COM DEUS, vem do cuidado diário e constante que o Bom Pastor tem para com suas ovelhas. O bom pastor diz que dá sua vida pelas ovelhas. Jesus denota em sua colocação o quão valioso é o seu aprisco,que o zeloso cuidado que Ele tem para com suas ovelhas é maior do que seu apreço pelo conforto que poderia ter em não se incomodar pela falta que alguma de suas ovelhas poderia representar em seu aprisco.

O BOM PASTOR ESTÁ A SERVIÇO DE SUAS OVELHAS. O MERCENÁRIO, O FALSO PASTOR, FAZ COM QUE AS OVELHAS ESTEJAM A SUA DISPOSIÇÃO.

Jesus compara os falsos pastores com MERCENÁRIOS.

Sabe o que isso quer dizer? Vou explicar: sabe quando a torcida começa a gritar das arquibancadas contra um jogador que não está se dedicando ao time: "mercenário! mercenário! mercenário!"...a torcida sabe que aquele tal jogador está ali no campo porque recebeu uma gorda proposta financeira, e está simplesmente cumprindo um compromisso profissional, sem nenhum tipo de paixão, amor ou envolvimento passional no que está fazendo.

O pastor mercenário é exatamente assim: está preocupado apenas com o resultado que o rebanho vai lhe proporcionar, está apenas esperando arrancar as lãs para amontoar sua fortuna, está preocupado apenas com os lucros se acumularem, mas não tem nenhum tipo de envolvimento, não tem nenhum amor nem pelas ovelhas, nem pelo o que está realizando.

Os mercenários estão a solta pastoreando rebanhos por ai. Não estão preocupados se os lobos estão dizimando seus rebanhos, não querem saber se o pecado está secando o pasto, não se importam se algumas ovelhas estão machucadas pelos espinhos dos descampados...se a ovelha estiver machucada, é melhor sacrificá-la, do que se dar o trabalho de curá-las.

As vacinas que aplicam não refletem o cuidado, o zelo com suas ovelhas no intuito de que não morram. Mas sim, apenas uma manutenção de suas "galinhas dos ovos de ouro". As ovelhas mais felpudas, mais suculentas, mas pujantes são selecionadas a comerem ainda mais. As magrinhas, frágeis, debilitadas são descartadas e sacrificadas.

Amados irmãos: nunca podemos esquecer que nosso verdadeiro, único e soberano pastor se chama Jesus Cristo. Sob seus cuidados devemos estar prontamente.

"Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e vai após a perdida até que venha a achá-la?
E achando-a, a põe sobre os seus ombros, jubiloso;
E, chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.
Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento." - Lucas 15:4-7








quarta-feira, 2 de outubro de 2013

O texto áureo



Se você perguntar a um bom cristão qual o texto áureo da Bíblia, muito provavelmente encontrará a resposta na ponta da língua:

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3:16

Há diversos textos, que são, por curiosidade ou cunho doutrinário dessa ou daquela denominação, tidos como temáticos, centrais, relevantes no evangelho, ou em todas as escrituras.

Por exemplo:

Diz-se de que este texto é o CENTRAL DA BÍBLIA:

"É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem."Salmos 118:8 - Diz-se que há 594 capitulos antes, 594 depois.


Os evangelistas e missionários, adotaram seu lema:

"E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura." Marcos 16:15


Os reformados também tem o seu:

"Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai." Mateus 10:8


Ficaríamos aqui um bom tempo relatando textos relevantes, importantes e essenciais nas Sagradas Escrituras. Eu mesmo tenho um texto que considero muito especial pra mim que está lá em Atos 16:31.

No entanto, estudando a palavra de Deus hoje, me deparo com Hebreus 13. Veja você, que teria inúmeros, mil outros textos tão importantes quanto, mas me deparo com uma singeleza tão grande, uma franqueza, uma palavra tão clara, que me derramo em lágrimas por meditar em tão grande pureza. 

Hebreus 13 é quase que um texto áureo para os dias atuais. Seguir estes conselhos, estes mandamentos é na verdade seguir um manual do sucesso. Vou transcrever aqui versículo a versículo, tomando a liberdade de humildemente deixar algumas observações daquilo que Deus tocou em meu coração esta tarde.

Permaneça o amor fraternal.
Permanecer no amor fraternal é para mim, o ápice, o ponto culminante do real entendimento e submissão aos ensinamentos de Cristo. O amor é a base de tudo.

Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos.
Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos maltratados, como sendo-o vós mesmos também no corpo.

Quão importante é a expressão desse amor. Não baixa sentí-lo, prendê-lo ao peito, dedicá-lo aos entes queridos. Precisamos expressar, externar, demonstrar este amor.

Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará.

A palavra de Deus é coerente. O matrimônio é a materialização da fidelidade que devemos ter com Deus.

Sejam vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei.

E assim com confiança ousemos dizer: O Senhor é o meu ajudador, e não temerei O que me possa fazer o homem.
Precisa de explicação? Não precisamos amados irmãos de ficar pra lá e pra cá com loucuras procurando ter e possuir coisas, ajuntando, enriquecendo. Nossa confiança é em Deus que prospera honradamente o fruto do trabalho das mãos dos justos.


Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver.

Uma invocação ao respeito aos nossos ensinadores, nossos pais, nossos homens de Deus que nos ensinaram e nos educaram no caminho da salvação.

Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente.

Sim, é o mesmo! Jesus não é uma moda passageira, nem uma chuva de verão. Ele não está vinculado a modismo, ou adequações que os homens fazem de sua palavra para adequá-la ao tempo que vivem. Ele é o mesmo Salvador desde a fundação do mundo.

Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça, e não com alimentos que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram.

Temos um altar, de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo.
Porque os corpos dos animais, cujo sangue é, pelo pecado, trazido pelo sumo sacerdote para o santuário, são queimados fora do arraial.
E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta.
Saiamos, pois, a ele fora do arraial, levando o seu vitupério.
O tempo todo, a todo o tempo temos sido tentados, apresentados a doutrinas estranhas, mas devemos estar fortificados da palavra de Deus para não nos deixarmos levar por heresias. Temos vivido tempos difíceis, mas nossa fé tem que estar em Cristo.


Porque não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura.

Glórias a Deus por isso! Tem gente pregando e pensando que nossa casa é aqui! Certamente não leram este texto.

Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.

E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada.
Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.
Orai por nós, porque confiamos que temos boa consciência, como aqueles que em tudo querem portar-se honestamente.
Boa conduta, bom comportamento, espirito reto, permanente adoração, permanente comunhão com Deus.


E rogo-vos com instância que assim o façais, para que eu mais depressa vos seja restituído.

Ora, o Deus de paz, que pelo sangue da aliança eterna tornou a trazer dos mortos a nosso Senhor Jesus Cristo, grande pastor das ovelhas,
Vos aperfeiçoe em toda a boa obra, para fazerdes a sua vontade, operando em vós o que perante ele é agradável por Cristo Jesus, ao qual seja glória para todo o sempre. Amém.
Rogo-vos, porém, irmãos, que suporteis a palavra desta exortação; porque abreviadamente vos escrevi.
Sabei que já está solto o irmão Timóteo, com o qual, se ele vier depressa, vos verei.
Saudai a todos os vossos chefes e a todos os santos. Os da Itália vos saúdam.
A graça seja com todos vós. Amém.

Hebreus 13:1-25

Em uma só passagem bíblica, somos confrontados  e apresentados a totalidade daquilo que podemos dizer sobre a essência dos ensinamentos de Cristo. Um texto rico, prazeroso, franco e que compila as grandes verdades de Cristo.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

A vergonha do evangelho



“Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.
Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá pela fé.” Romanos 1:16-17

Paulo escreveu tais palavras aos romanos sobre o fato de não se envergonhar do evangelho de Cristo.

Que convicção nessas palavras! Que certeza! Que, até mesmo, “arrogância santa” (pegando uma carona na mania brincalhona dos pentecostais de chamarem pecados de santos)!

Imagino um punho ralado, talvez uma mão cheia de dedos com poças de sangue presas dentre as unhas e a carne, fruto de uma vida resoluta envolvida com a rotina de perseguições, prisões, enfrentamentos e “envergonhamentos” públicos, por causa da pregação do evangelho, escrevendo tal mensagem à igreja  romana em seus primeiros fôlegos de vida.

Não consigo imaginar um homem triste. Pelo contrário, leio tais palavras e consigo enxergar um homem determinado, resolvido, realizado, maravilhado, totalmente satisfeito com a vida que escolheu viver. Sem rodeios, sem titubeios, sem reclames, sem entraves, sem “talvez”, sem espaço para queixas murmurantes, evidentemente tranqüilo com suas convicções.

O "não se envergonhar" de Paulo, não foi o medo de ser chamado de “careta” no meio da rodinha de playboys recusando um “saboroso” (?) trago no cigarro mentolado nomeado de baile. Tampouco o desconforto de se afastar de uma má conversação promovida pelos colegas ao redor.Ainda mais, "não se envergonhar" em nada tem a ver com a vontade de usar uma "camuflagem" na personalidade, uma busca por se adaptar ao meio qualquer que seja, para não ser identificado como cristão. 

Ele "não se envergonhou", por ser mente aberta, por entender as diferenças, por levantar a bandeira da "igualdade" se imaginando "cool" por estar trabalhando na causa da "religião" (?) mais revolucionária da época, seguidores de um "tal" "desTVrizado" Jesus Cristo, por se conformar com o pecado....ele "não se envergonhou" não por entender que todos os caminhos levam a Deus, por se enquadrar no conceito de que "tanto faz seguir a Cristo, Renfã, Moloque, Diana, Postes-Ídolos, portanto todos devem ser respeitados em suas crenças", dessa forma, estaria tranquilo para "não se envergonhar."

Existia uma questão muito mais nobre para "não se envergonhar", e não: não passa nenhum pouco pela riqueza ou pobreza do personagem! "Não se envergonhar" significou nesta fala de Paulo o incessante desejo de se relacionar com a verdade de Cristo a todo o momento.

Não era pesado a Paulo não curtir baladas, não "transar" com filas de mulheres da vida,  não receber honrarias em altas cerimônias políticas, não lhe era remorso algum abandonar seu passado de "perseguidor de crente" e passar a viver a "perseguição a crentes". Estava convicto de que tinha encontrado a razão maior da sua efêmera passagem vivente aqui na Terra. 

DIGO ALÉM:

Paulo "não se envergonhou" porque não havia atitudes na conduta cristã capazes de lhes deixar desconcertado perante a sociedade. Não havia lacunas, não havia complicações, duplo-sentido, interesses escusos em se tornar um seguidor de Cristo. Não havia uma "ideologia", um golpe político sendo arquitetado por detrás da fala de Cristo. Não se pretendia aplicar um crime contra a economia popular.Não se exigia dinheiros para enriquecer bolsos dos líderes da "organização" (?), não havia um plano para se construir um império, não se combinavam nos camarins e gabinetes pastorais as estratégias de como "arrancar" o último cêntimo dos convertidos, não existia possibilidade de usar o evangelho para aglomerar um povo e oferecê-lo aos governantes como moeda de troca em barganhas corruptas e arranjos de poder.Paulo nunca se envergonhou porque nunca precisou evocar o cortador e o migrador para amedrontar os "fiéis" (?) da "sua" (?) nova "religião" (?) alimentando o mito e a superstição do povo, intimidando-os a ofertar. Pelo contrário, Paulo nunca se envergonhou de dizer que "pecado é pecado", o "certo é certo", o "errado é errado". E quando escreveu orientando aos Corintios, e a todos nós, não teve vergonha de dizer "sobre isso Deus disse", "sobre aquilo penso EU isso", quando poderia dar uma de "profeta santarrão", "ungidão", "lider espiritual" e exortar os outros dizendo "DEUS DISSE"!  * ver 1 Cor. 7:8-12.

Não se envergonhar foi muito além. Foi um exemplo pra mim e pra você. Temos o mal costume de não lermos a Palavra. E quando lemos, um péssimo mal costume de não meditarmos na Palavra.

Ela é rica, é o alicerce é a espada que corta dos dois lados, não deixa dúvidas, não deixa penumbras, não deixa motivos para nos envergonharmos.

Podemos, eu e você, dizermos em alto e bom som que "não nos envergonhamos do evangelho de Cristo." Será que o evangelho de Cristo pode nos dizer que não se envergonha de nós?


"Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus,
Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos;
E que é manifesta agora pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo, o qual aboliu a morte, e trouxe à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho;
Para o que fui constituído pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios.
Por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia."
2 Timóteo 1:8-12



Em Cristo,

Por Bruno Ramos




domingo, 15 de setembro de 2013

A política do quase

Já dizia o poeta em sua canção: "bola na trave não altera o placar."




Não é de hoje que nossa sociedade brasileira, quiçá a maioria da população das nações do mundo tem se habituado a viver sem objetivos, sem metas. Abordagem generalista para assuntos como este nunca dá muito certo, por isso, vamos dizer que um percentual significativo de pessoas abandonam suas metas pelo caminho, desistem de tentar, perdem o foco, se desmotivam, se aborrecem, se entristecem, se iludem, se desanimam e ficam no "quase". 

Eu tenho um certo "medo" do quase. Não gosto muito de saber que alguém disse: "Bruno foi muito bem mas quase conseguiu." Ai vem o lema da política do quase: "Mais importante do que ganhar é competir."

Na verdade, repensar, replanejar, recalcular a rota, modificar a vida não tem nada a ver com isso. Nem sempre acertamos, nem sempre o caminho escolhido é o melhor. Nesse caso, o jeito é voltar atrás, de onde errou e recomeçar o novo caminho. A Bíblia diz em Apocalipse algo sobre isso:


"Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres." Apocalipse 2:5


Mas o que chamo de "politica do quase" é a mania que muitos de nós tem de se contentar com a "mediocridade", de se sentir satisfeito com o incompleto, é do terrível mal costume de nos conformarmos com a metade, com o "quase".

Meus amigos, o quase e o nada são a mesma coisa. Deus não nos fez para o quase. Ele nos fez para cumprirmos a perfeita obra de seu plano. Olha isso:


"Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca."Apocalipse 3:16

Tem muita gente levando sua vida espiritual na base da política do quase. Até planejam realizar, até se "esforçam", mas não o suficiente, e no final, não se conclui nada, ficam no quase.

O quase é uma espécie de "limbo", um abismo profundo onde estão depositados todos os sonhos, as vitórias, e os anseios da vida das pessoas. Em outras palavras, é o lugar comum dos derrotados, dos incrédulos, daqueles que não levaram a sério, dos conformados e dos fracos.

Existem duas explicações bíblicas que relatam sobre como as pessoas ficam nessa situação.


"Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?
Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele,
Dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar.
Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil?
De outra maneira, estando o outro ainda longe, manda embaixadores, e pede condições de paz.
Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo."Lucas 14:28-33

Nesta pregação, Jesus estava mostrando para a multidão que o seguia atrás de seus milagres e maravilhas, de que nada valeria andar atrás dele se não houvesse algo a mais: renúncia, planejamento, envolvimento. O texto está muito claro, não carece explicação. Temos que simplesmente calcularmos, nos empenharmos nos envolvermos para não ficarmos no quase. Senão, seria melhor nem tentar. Não vale a pena ficar no quase.

Paulo nos trás a segunda explicação sobre como as pessoas ficam no quase, ou, como as pessoas devem agir para não ficar no quase:

"Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim,
Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." Filipenses 3:13-14

Duas coisas há de se destacar: ESQUECENDO-ME DAS COISAS QUE ATRÁS FICARAM e PROSSIGO PARA O ALVO.

O que muitas vezes nos faz ficar no quase é a velha mania de olharmos as circunstâncias...darmos ênfase nas dificuldades, nas obscuridade das coisas, do relativismo cultural que nos consome...uma mania besta, cruel e fracassada de ficarmos achando desculpa pra tudo, de levarmos em conta coisas negativas, de buscarmos explicações para nossas dificuldades. Isso nos deixa no quase. E por fim, e consequência desta primeira sentença, nos deixa no quase o fato de nos esquecermos nosso ALVO. As vezes a gente se esquece não é mesmo? Nos envolvemos num "embololô" de coisas terrenas, nos tais problemas da vida e no final esquecemos nosso alvo, nosso objetivo. É como aquela conversa que travamos com um amigo sobre algo muuuuuiiiiittoooo importante, mas ai, aparece uma interferência, e quando você volta ao assunto você se pergunta: "mas sobre o quê eu estava falando mesmo?"

Irmãos, não podemos nos conformar com o quase. Não se limite ao razoável quando se pode chegar a excelência. Não digo isso no caráter financeiro da parada, não estou aqui "pregando" teologia da prosperidade....isso vale para nossa vida financeira, profissional e material sim, com certeza. Mas digo em TODAS, TODAS as áreas de nossa vida, PRINCIPALMENTE A ESPIRITUAL. Você que me lê agora, pode estar passando por um momento de reavaliar sua caminhada, sua jornada cristã, anda se decepcionando com igreja, com pastor, com irmão A, B, C, D...Não deixe que essas interferências te deixem no quase. Não deixe seu ânimo te deixar no quase.

E que o Senhor complete o sentido destas palavras em nossos corações.

Em Cristo,


Bruno Ramos

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Obrigado Senhor...


Me faltam palavras em número e abrangência para descrever a gratidão, o reconhecimento e o contentamento. Poderia contabilizar os dias vividos através dos anos e destacar momentos memoráveis, poderia mencionar uma retrospectiva emocionante, poderia me referir a uma vida maravilhosa cheia de paz e alegria, poderia falar dos sonhos realizados e das vitórias alcançadas, poderia falar da família linda e abençoada, poderia falar daqueles que me cercam com amor, carinho, amizade e sinceridade. Contudo as referências remontam um passado que vai muito além do dia do meu nascimento alcançando o momento em que a cruz foi suspensa, as referências transcendem os dias da minha vida registrados nos álbuns de fotografias e alcançam a eternidade. As referências substituem as palavras tais como casa, carro, saúde, família, conforto e bem estar pelas palavras sangue, justificação e salvação. Não me faz sentido o que sou, onde cheguei e o que alcancei nesta vida, tudo teria sido muito diferente, uma eterna tragédia, se toda minha vida não tivesse sido marcada por, simplesmente, um convite sublime descrito por poucas e singelas palavras, e hoje, sei que aquele que um dia pareceu ser uma intervenção era apenas a continuidade de um plano eterno que incluía o meu nome, foi apenas o momento em que tomei conhecimento de que algo universalmente grande me envolvia. Obrigado Senhor, pois todos os meus maravilhosos, marcantes e abençoados dias até aqui são apenas uma sombra, um reflexo, um símbolo daquilo que me já esta preparado. Se existe uma palavra que exprima mais, que tenha mais abrangência, que expresse maior gratidão do que a palavra “obrigado”, é nesta que a minha mente está tentando pensar, minha boca falar e minhas mãos escrever.

Texto - Pr. Áureo Matos

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

O diabo não brinca de ser diabo. Crente não pode brincar de ser crente.




Olá pessoal. Aos que conhecem meu trabalho, meu blog, meu estilo de escrever, sabem um pouco sobre meus temas favoritos e sabe muito bem que gosto de mensagens reflexivas. Escrevo muito pouco textos no estilo do que estou começando a escrever agora. Sou muito adepto das mensagens sobre amor, lições da vida cotidiana, pequenos exemplos, pequenas ações, atos, experiências, coisas que existem mas pouco damos importância a elas...acho que existe uma beleza infinda quando nos damos o "trabalho" de debruçarmos na Palavra de Deus. Lições valiosas são extraídas dos ensinamentos bíblicos.

Vivo uma das melhores fases da minha vida, mas não vivo a esfregar isso na cara de ninguém sob pretexto de "testemunho" de "contar minha vitória" de "fruto da minha campanha disso ou daquilo", porque aprendi a viver no pouco e tenho procurado saber viver no muito, fazendo minha as palavras de Paulo:

"Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho.
Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece." Filipenses 4:11-13

Meu sinônimo de vitória não está associado ao $$$$ no bolso, tampouco a fases de alegria, ou conquistas de bens terrenos. Sou feliz com o que tenho, aprendido diariamente a lei do "contentamento" que é a satisfação em possuir o que Deus dá e pronto acabou! Até hoje, minhas principais conquistas tem sido o fato de ter sido criado por pais que zelaram por minha vida e me ensinaram a andar nos caminhos do Senhor, do qual nunca desviei, e também uma esposa maravilhosa que tem sido uma companheira fiel e ajudadora. O que vier é lucro e não interfere em dizer que o que ganho ou deixo de ganhar seja o motivo das minhas esperanças. De resto, como digo sempre, a teologia da prosperidade Deus ensinou a Adão quando o expulsou do paraíso:

"No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás." Gênesis 3:19

Então amigo, o segredo pra se vencer na vida é o trabalho.

Dito isto, toco num ponto importante dessa trajetória atual do cristianismo. O principal problema de cristãos estarem ávidos por "possuírem" coisas terrenas é que acabam embaraçados pela satisfação, pelas bandejas das coisas desse mundo e sorrateiramente, despropositadamente acabam se afastando do evangelho. Vão se conformando com este mundo. Vão achando que a melhor coisa do mundo é estar no mundo. Acham que aqui é o "novo paraiso", a "nova Jerusalém" aqui é o lugar do gozo eterno. E não é.

"Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom." Mateus 6:24

O diabo não tem brincado de ser diabo. Se ele não consegue atrair milhares ou milhões de evangélicos para os centros de macumba para adorá-lo abertamente, ele se transfigura de cédulas de papel moeda e passa a rechear carteiras de crentes, empapuçar contas bancárias e a ocupar um lugar de destaque na mente, no estilo de vida e na razão de viver de muitos que estão nos bancos das igrejas procurando suas conquistas materiais.

Não é só o dinheiro em si, que é o problema. E sim, muito pior o que ele proporciona. As regaladas festas regadas a bebidas, as mulheres fáceis, as ostentações arrogantes e por fim, a falsa sensação de que se tem tudo, de que não precisa tanto assim de Deus.

O diabo não está brincado de ser quem é. Nós crentes não podemos então brincar de ser crentes. Essa geração de crentes precisa de uma vez por todas tomar sua cruz, aceitar o desafio, morrer de fato o eu e frutificar vida em prol do evangelho. É inadmissível tantos crentes vivendo um cristianismo tão raso, superficial e modificado.

Ser cristão é mais. Seguir a Cristo é uma renúncia constante, é um exercício permanente de práticas santas. Temos sido provados a todo o tempo e muitas vezes não somos capazes de vencermos nossas fraquezas, nossos próprios interesses. Não podemos levar nossa fé na brincadeira. Ela não é um faz de conta.

"Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus." Hebreus 12:1-2

sexta-feira, 26 de julho de 2013

O papo do papa



A muito tempo não se via um papa tão jovial, carismático, determinado, motivado e envolvente como este papa Francisco. Como católico que não sou, fica muito difícil emitir opinião acerca do líder da religião dos outros, mesmo que sejam nossos "primos". De qualquer modo, quero deixar algum registro acerca deste assunto.

Não falo isso no afã da visita do homem em território nacional. Mas o fato é que Francisco tem colecionado elogios e acumulado simpatia por parte de todas as gentes. Outros cristãos, outros credos, tem visto neste novo líder que ainda existe como lutar em favor dos valores outrora perdidos.

Ver um homem tão poderoso refutando a pompa inerente ao seu cargo - cultivada a séculos e alimentada pelos interesses de "sabe-se lá quem" dentre os cardinais cardeais e as forças politicas "vaticanescas" - ventila um pouco de ar nos já tão sufocantes ares do cristianismo moderno.

Tenho amigos católicos, presto serviços em instituições católicas e tem muita gente no catolicismo que é digna do meu mais profundo respeito. Mas sabemos que o catolicismo andava meio "largado", "abandonado", pelo menos desse lado de cá do globo terrestre, diga-se de passagem, um dos lados mais populosos dos fieis ocidentais...é notório até para um não católico como eu que essas ações papais de Francisco tem chacoalhado as estruturas da igreja a qual preside. Em um dos poucos momentos que tive a oportunidade de ouvi-lo, soube que Francisco não tem se escondido atrás da diplomacia arcaica, e tem falado não-entre-dentes sobre questões como luxúria/riqueza, poder terreno, homossexualismo, drogas e principalmente, sobre o papel do cristão frente aos ataques que estão esfaqueando a moral e os bons costumes.

Observando esse papo do papa, percebo o quão distante a igreja evangélica brasileira está da pregação dos valores defendidos por Cristo. - Com raras mas existentes exceções, claro.

É de chorar, espernear, aborrecer, o que os líderes descendentes da reforma protestante, tem feito com o evangelho de Cristo. 

Dá vontade de chorar mesmo, e por vezes eu choro, quando aparece a cara bem lavada de um Silas Malafaia da vida, que ao invés de estar pregando sobre o amor de Cristo, sobre a conversão de almas, vai para tudo quanto é programa de televisão que não se recomenda assistir até mesmo nas pregações dominicais, falar sobre causas que em nada engrandecem o nome Poderoso do nosso Deus. Ouço muito outros crentes, depois de assistirem as manifestações efusivas deste mesmo, dizerem: "rapaz pastor Silas é inteligente, sábio pra caramba, que homem inteligente!! Você viu? Silas envergonhou o seu oponente o cara é inteligente!!" Mas ouço muito pouco ou quase nada sobre: "Senti profundamente uma paz ao ouvir as palavras do Silas" ou "O nome do nosso Deus tem sido reverenciado através da vida desse homem".

O fato é que o falso cristianismo do acúmulo de riquezas e da exaltação ao poder tem sido muito superior em arrebatar os corações do que o verdadeiro cristianismo do "seja menor para ser maior", "do servir ao invés de ser servido", "abençoar ao invés de ser abençoado", "perder ao invés de ganhar", "abrir mão ao invés de conquistar"...

Acho que um excelente ensinamento pode ser retirado acerca das palavras de Francisco: A humildade, a simplicidade e a pureza de coração devem ser a marca destes últimos dias para aqueles que decidiram aceitar o chamado de Cristo.


Cristo não vem buscar religiosos, cumpridores de deveres eclesiásticos, devotos, sacerdotes, membros de carteirinha dessa ou daquela instituição religiosa. Ele vem buscar A SUA IGREJA, a igreja dos santos, dos lavados e remidos pelo sangue do Cordeiro, os humildes de coração. Sejamos um desses.


"Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve."
Mateus 11:29-30




quinta-feira, 11 de julho de 2013

Cromadas e Coloridas


*Pastor Áureo Mattos
Pastor da Igreja Presbiteriana Paraíso (IPP) Cachoeiro de Itapemirim-ES

Em cada supermercado as marcas estão em franca concorrência entre si pela conquista do cliente, elas aplicam em seus produtos as mais variadas características tais como peso, medida, sabor, textura, cor, etc, mas principalmente, embalagens atrativas, aluminizadas, cromadas, coloridas, com cores vibrantes, com letras grandes e bem legíveis, com nomes curtos e fáceis de pronunciar, etc. As marcas disputam os melhores lugares nas prateleiras, nenhuma delas quer ficar muito abaixo ou muito acima, todas brigam pela posição na altura dos olhos do cliente. 

Ao chegar em casa e desembalar tudo que compramos nos espantamos com a quantidade de embalagens que, muito embora, bonitas e coloridas, não servem pra nada, a não ser para entulhar nossa casa, sujar as ruas e poluir o meio ambiente. E o pior é saber que pagamos por elas. É assim que muitos estão vivendo no meio evangélico, apresentam-se como sendo o melhor produto, o mais espiritual e consagrado, o mais eficaz na oração, na revelação, na visão e na operação de sinais e prodígios, o melhor produzido pelo “Dono da Fábrica”. 

Procuram a maior visibilidade possível e se utilizam das mais atrativas embalagens. Se vestem peculiarmente, falam com firmeza e segurança, emitem mistérios e poderes, inspiram autoridade e confiança, são atrativos e convincentes. Contudo, esta classe não passa do lixo que entulha a casa com doutrinas humanas e engano, que suja as ruas pela falta de caráter e retidão e que, polui o meio ambiente distorcendo, ridicularizando e antipatizando o Evangelho. 

Esses “produtos” não enaltecem o “Dono da Fábrica”, muito pelo contrário, depreciam seu nome. No “dia do balanço” se justificarão dizendo que pelo nome do dono da fábrica pregaram, expulsaram demônios e fizeram milagres, contudo o dono da fábrica dirá: “Nuca os fabriquei, vocês estão fora de linha, podem incinerar.” (Mt 7.22).

Qualquer um que entrar no supermercado espiritual sem a lista de compras com “66 itens” descritos pelos profetas e apóstolos se iludirá com as embalagens, pagará e levará para casa. Portanto ateste a qualidade antes de dar credibilidade, se você não conhece ou não tem indicações confiáveis não compre, não confie, não leve para sua casa e nem para sua vida.

"Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade." Mateus 7:22-23

sábado, 6 de julho de 2013

A síndrome de Marta



E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa;

E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra.
Marta, porém andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude.
E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária;
E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada. 
Lucas 10:38-42


**************


Muitos cristãos, muitos "crentes' hoje vivem seu cristianismo infectados pela síndrome de Marta. Marta é a irmã atarefada da citação bíblica acima destacada.

Já ouvi na minha caminhada cristã algumas pregações sobre esse texto. Óbvio, claro e cristalinamente translucido a lição que se retira dessa passagem bíblica. 

Mas será que os cristãos que já ouviram essa mensagem, ou leram essa passagem já se deram o trabalho de refletir sobre qual papel está desempenhando nesse esquete encenado?


Bom, eu digo o que é ser Marta e o que é ser Maria, depois tire suas conclusões:

Ser Marta é estar “sufocado” por toda essa religiosidade eloquente viva e vivida dentro do sistema religioso que serve muito pouco ou quase nada para a real exaltação do nome de Deus. Ser Marta é estar atarefado por trabalhos e mais trabalhos religiosos que não levam a nada, que não convencem ninguém, que não servem pra evangelizar, nem para edificar a ninguém, só servem para criar aborrecimentos, discórdias, contendas e mediocridade. 

Vejo Martas dentro das igrejas toda vez que me deparo com irmãs brigando pra saber quem vai liderar o conjunto feminino, quem vai pregar no culto, quem vai homenagear fulano ou beltrano, quem vai ser o responsável por isso ou por aquilo, quem vai criar o boletim...irmãos que querem ser líderes desse departamento, ou daquele outro....


Sei que são Martas, todos aqueles que ficam arranjando tarefas pra fulano, beltrano e cicrano, que ficam colocando julgo e mais julgo nos outros....grupos que querem “mostrar serviço” pro pastor, querem mostrar que são "bons de cela". - São as Martas da igreja.

Meu DEUS!! Quanta bobeira essas Martas inventam!!! Fico vendo, pessoas "inventando" programações religiosas, arranjando tarefas e mais tarefas...e no final...no final, só sabem reclamar de o quanto se dedicam, só sabem se frustrar por não terem seu “esforço-inútil” reconhecido.

CERTAMENTE, quando a Marta ai de cima “cutucou” Jesus, foi para chamar a atenção para si, foi para o Mestre notar seu esforço, e no fundo, lá no fundo, talvez quis “montar em sua cabeça” uma “mini competição” com Maria, e em sua mente, imaginou que sairia vencedora: “vou mostrar a Jesus o quanto estou trabalhando e ele vai me dar razão e mandar Maria trabalhar comigo...ele vai elogiar meu esforço, vai reconhecer minha dedicação!”

Tolice!!! Tolice x tolice = tolice²!!!

Aprendi uma lição com o pastor Áureo que ficou gravada a talhos de faca no meu coração: nós enxergamos num plano limitado, nosso Deus enxerga num plano infinitamente maior do que o nosso.

Jesus nos chamou para ADORAÇÃO, PARA O RELACIONAMENTO, PARA A EXPRESSÃO REAL DO AMOR DELE!!! O serviço maior no Reino de Deus é o amor, é o diálogo, é o entendimento é o relacionamento principalmente com Ele.

“Muitos estão nas igrejas nos seus cultos dominicais, mas perdem a oportunidade de adorá-lo porque estão demasiadamente ocupados com sua religião.”

Quando escolhemos adorar a Jesus, este privilégio não nos é tirado! Jesus não rejeita uma adoração! Ele não repudia o relacionamento em prol de mais uma tarefa religiosa!!! Entenda isso amado irmão, de uma vez por todas!!!

O Mestre não está preocupado com suas guerrinhas religiosas, com suas tarefas “igrejíceas” ele está somente, e tão somente preocupado com sua adoração! Ele quer se relacionar conosco e nada mais. Ele procura Marias que o adorem em espírito e em verdade!

Ser Maria é escolher primeiro o relacionamento com Ele e a obra de Deus. O Ide, e ai sim as demais coisas acontecerão naturalmente e ordenadamente a partir desse princípio!

Deus nos abençoe hoje e sempre!!!

Felicidade se faz com música

Olá a todos!

Enfim, resolvi de vez expor minhas escritas. Sempre quis escrever, apresentar um pouco as idéias que estão sempre enclausuradas na minha mente, sem ter como escapar. Espero que gostem de tudo o que eu carinhosamente estou apresentando ai. E, se por um caso, precisares de uma banda pra tocar no seu casamento, na sua festa, no seu evento...estamos ai, fácil falar comigo. Abraços.

Abraço a todos.

brunodearamos@gmail.com
(28) 9923 5466
(28) 9922 5062